25 de julho de 2013

Paris: Louvre, Jardim das Tulherias e arredores



Museu do Louvre

Antes de ir ao Louvre, tenha uma coisa em mente: é impossível conhecer todas as obras do museu em apenas um dia. Sabe aquela famosa pirâmide de vidro? Pois é, aquilo é apenas a entrada do museu, que dá acesso ao saguão principal no subsolo, onde se compram os ingressos (entrada normal: 12€). São mais de 380 mil itens em exposição, sendo 35 mil obras de arte permanentes.

Fiz um cálculo meio louco pra provar que não dá mesmo pra ver tudo em tão pouco tempo. Se estiver errado, por favor, levem em consideração que eu já fiquei de recuperação em matemática... Descobri que, se você levasse apenas 10 segundos para olhar cada obra do Louvre, em 24 horas conseguiria ver apenas 8.640. E isso se deixasse de comer e dormir nesse dia e não levasse em conta o tempo perdido com deslocamento entre uma coisa e outra. E agora que já queimei o cérebro o_O... vou continuar.

Daí que o pobre turista, que não tem tempo nem dinheiro sobrando para passar 1 mês em Paris, precisa escolher bem o que quer ver no Louvre. Nós, por exemplo, passamos bastante tempo na seção de antiguidades egípcias e na coleção de antiguidades gregas, etruscas e romanas, que são incríveis. Não é difícil encontrar a Mona Lisa, de da Vinci: basta entrar na ala Denon, no primeiro andar, e observar onde está mais tumultuado. Não tem erro! Infelizmente, não consegui nenhuma boa foto dela porque a multidão ali não facilita e eu já tava ficando aflita com tanta gente em volta.  =O Já a Vênus de Milo, estátua que representa a deusa grega do amor e da beleza, Afrodite, fica no térreo do museu, na ala Sully. 

Os detalhes do teto do Louvre: cuidado pra não tropeçar!

Esfinge na entrada da coleção egípcia
  
Embaixo da pirâmide, o salão central do museu.

A sempre pop Vênus de Milo

 Jardim das Tulherias

Ao sair do museu e passar pelo Carrousel du Louvre, estamos no Jardim das Tulherias, um enorme parque com várias fontes, estátuas e cafés (e pombos). Na área do parque estão dois outros museus de arte, que a gente não pôde visitar dessa vez: o Musée de l’Orangerie e o Jeu de Paume. Atravessando o jardim, em direção oposta ao Louvre, chegamos à Praça da Concórdia, que abriga o Obelisco de Paris. Dali se tem uma boa visão da avenida Champs-Élysées, a rua mais cara de Paris, e do Arco do Triunfo. Se ainda tiver fôlego sobrando, você pode continuar caminhando e terminar o roteiro com uma boa foto em frente ao Arco.  

Carrousel du Louvre

Uma das fontes do Jardim das Tulherias, onde o povo senta e fica horas e horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário