5 de setembro de 2013

Londres: primeiras impressões, Westminster, London Eye e Palácio de Buckingham

Descrever Londres é um pouco difícil. As pessoas podem lhe dizer que a cidade é linda e incrível, mas isso não representa o que ela é de verdade. Londres tem uma atmosfera diferente, cosmopolita e acolhedora ao mesmo tempo. Mesmo sendo enorme e tão diversificada – gente de toda parte do mundo em cada esquina – você se sente bem-vindo. As pessoas são simpáticas e parecem dispostas a ajudar, características que lembram o brasileiro. Soubemos disso logo no nosso primeiro dia, quando estávamos meio perdidos procurando um museu, olhando um mapa. Um senhor que parecia ser morador de rua percebeu e ajudou a gente a se localizar, assim mesmo, sem ninguém pedir. Tão fofo! ~Hashtag: Mendigos de Londres são mais legais~

Libra: a moeda que dói no bolso

Não dá pra negar. O câmbio é bem desfavorável e dói no coração trocar reais por libras. Na primeira casa de câmbio onde fui, entrei toda feliz com R$ 1.000,00 na mão e quase saí chorando com £ 250,00. T_T É preciso lembrar que as casas de câmbio cobram suas taxas extras, além da cotação do dia. Comprovei que o “menos ruim”, por assim dizer, é levar só uma pequena parte em reais  e deixar para sacar o resto do dinheiro já em libras (ou outra moeda) em um caixa eletrônico na própria cidade, porque a taxa é menor. É só desbloquear a conta corrente para saques no exterior em qualquer caixa eletrônico antes de sair do Brasil. Eu uso o Banco do Brasil, mas acredito que todos têm essa facilidade.

Neste primeiro post, separei alguns lugares obrigatórios de Londres em um roteirinho de menos de um dia que fizemos. Não é cansativo visitar todos em um dia, pois as atrações ficam relativamente próximas umas das outras.

Palácio de Westminster (Casas do Parlamento)

Ao descer na estação Westminster, damos de cara com o Palácio de Westminster, complexo de prédios governamentais, inconfundível por causa da Torre do Relógio, que abriga o Big Ben - o famosíssimo sino de 13 toneladas. Tudo isso às margens do Rio Tâmisa, compondo um visual que é o cartão-postal de Londres. É nesse palácio que funcionam as câmaras do Parlamento do Reino Unido - a Câmara dos Lordes e a Câmara dos Comuns (em que século estamos mesmo?). Do lado oposto do palácio, está a Victoria Tower, a torre mais alta do complexo. 


Ponte de Westminster e detalhe da Torre do Relógio (Big Ben)

Victoria Tower

London Eye

De um lado da Ponte de Westminster, as Casas do Parlamento; do outro, a London Eye, a roda-gigante de mais de 130 metros, construída para ser um observatório e proporcionar uma senhora vista da cidade. O ingresso pode ser comprado na hora mesmo, sem muita fila, mas a espera para subir na London Eye é um pouco demorada (30 minutos ou talvez mais). O bilhete normal custa ₤17,28, mas por mais umas ₤10 é possível adquirir o Fast Track, que permite furar a fila. Particularmente, eu nunca pagaria tanto. Minha mão-de-vaquice já me alerta que ₤17,28 é caro pra dedéu... o equivalente a uns R$70,00 naquele período (!). A volta completa da roda-gigante dura 30 minutos, tempo suficiente pra tirar infinitas fotos.

Cabine da London Eye

Millennium Wheel, a London Eye

Vista de cima da London Eye: Rio Tâmisa, ponte e Palácio de Westminster

Ali ao ladinho da London Eye está o Sea Life London Aquarium. Tivemos muita vontade de ir, mas já tínhamos visitado o aquário do zoológico de Schönbrunn duas semanas antes e também tínhamos combinado de ir ao Oceanário de Lisboa, que é o maior da Europa. Portanto, preferimos pular esse passeio.

Palácio de Buckingham

Da Ponte de Westminster até o Palácio de Buckingham são cerca de 20 minutos a pé. Pelo caminho, paramos na Abadia de Westminster, a igreja mais importante de Londres, onde são realizadas as cerimônias de coroação e onde aconteceu o casamento do príncipe William e da Lady Kate, quero dizer, Kate Middleton.

Jardins do Palácio de Buckingham

Memorial da Rainha Vitória em frente ao palácio 
e os típicos táxis londrinos passando por ali

O Palácio de Buckingham é a residência oficial da rainha, onde acontecem as conhecidas trocas da guarda. Os jardins públicos do palácio são lindos! Tem um lago com patinhos que parece coisa de filme. Pena mesmo foi não ter podido ver os State Rooms, os luxuosos salões usados pela família real para receber os visitantes oficiais. Estivemos em junho, mas este ano os salões só abriram para visitas a partir de 27 de julho.

Abadia de Westminster e seus 3.597 turistas se apinhando por uma foto 

Nenhum comentário:

Postar um comentário