12 de outubro de 2013

Torre de Londres: o passado obscuro da Inglaterra

Como todas as capitais do velho mundo, Londres tem uma bela arquitetura e muitos monumentos que revelam séculos e séculos de sua história. Misturado a isso, também tem um lado moderno, movimentado, jovem e cosmopolita, como já disse antes. Mas levando em consideração o velho e o novo, foi a Torre de Londres o lugar que mais me marcou.

Seu nome completo é digno, meu bem: Palácio Real e Fortaleza de Sua Majestade A Torre de Londres. Construção às margens do Rio Tâmisa iniciada em 1078 por Guilherme, o Conquistador, a Torre nasceu para ser uma fortificação, mas já serviu como residência real (o que ainda é, oficialmente), Casa da Moeda e zoológico real, entre outras funções. Mas sem dúvida, mais de 900 anos depois, a fama ficou por conta das muitas prisões, execuções e torturas que rolaram ali.

Passado negro
Quem já viu o filme “A Outra”, com as lindas Natalie Portman e Scarlett Johansson, sabe que ele trata de Ana Bolena, que foi a segunda esposa do Rei Henrique VIII da Inglaterra e mãe da Rainha Elizabeth I. Pois foi na Torre de Londres que Ana Bolena foi decapitada em público, acusada de traição, adultério e incesto – acusações estas que nunca foram provadas. Reza a lenda que a mulher ainda vagueia por lá, segurando a própria cabeça...

Apesar do nome no singular, na verdade são várias torres. A principal delas é a Torre Branca, localizada bem no centro da fortificação. Lá dentro estão expostos armaduras, diversas armas e outros objetos do Arsenal Real. O legal é que nem tudo fica atrás de um vidro, intocável. É possível até manusear uma espada medieval autêntica e dar uma de arqueiro (descobri que sou péssima).

Já a Torre Sangrenta ganhou esse nome porque acredita-se que os dois filhos (crianças) de Eduardo IV, os “Príncipes da Torre”, foram mortos nessa torre, sufocados pelo próprio tio, que perderia o trono quando o garoto mais velho chegasse à maioridade. Um dos prédios do complexo também abriga as Jóias da Coroa Britânica. Em outras torres menores é possível conhecer alguns aposentos reais (The Medieval Palace), conhecer as Royal Beasts (a Torre já funcionou como Mostra de Animais do Reino) e muito mais.

Torre Branca
Jóias da Coroa



Yeomen Warders: a Guarda Real
Em alguns horários ao longo do dia, são realizados tours guiados pela Guarda Real da Torre de Londres. Chamados de Yeomen Warders ou Beefeaters, os guardas são uma atração turística à parte. Eles são muito bem treinados, sabem de cabo a rabo toda a história da Torre e são muito bem humorados! A performance deles enquanto vão guiando os grupos é uma mistura de teatro com comédia. Nosso guarda/guia era tão legal que comprei um lápis com um mini-yeoman de enfeite em homenagem a ele. Ah! O tour guiado está incluso no ingresso.


Yeomen Warders: fazem a segurança e também são guias
A inscrição no traje quer dizer "Elizabeth Regina, the Second"
Corvos de estimação
Não basta ter sido palco de tanta morte, prisão e tortura, tem que ter corvos rondando a Torre pra completar o cenário macabro. Sim, até hoje. Reza a lenda que se algum dia os corvos abandonarem a Torre de Londres, o Reino inteiro ruirá. É claro que, por via das dúvidas, existem profissionais que alimentam os corvos para que eles nunca saiam de perto.

Tower Bridge
A ponte mais famosa de Londres, e uma das mais famosas do mundo, fica bem em frente à Torre de Londres. Por isso mesmo, chama-se Tower Bridge (Ponte da Torre), e sua arquitetura foi pensada para combinar com a própria Torre. Fomos durante o dia, mas à noite deve ser ainda mais bonita.


Tower Bridge

Ingresso – O ingresso individual custa um pouco mais de £20, por isso uma boa dica é aproveitar a promoção 2 for 1, caso você tenha companhia. Para saber sobre a promoção, leia sobre o assunto NESTE POST. A estação de metrô mais perto da Torre de Londres é a Tower Hill. 

Pra finalizar, foi no restaurante da Torre de Londres que pude experimentar a legítima comida inglesa. E descobri que é uó! Ou seja, faz juz à fama... E olha que eu tendo a gostar de tudo e encaro qualquer coisa. Mas acho que nem os próprios ingleses curtem muito porque achei difícil encontrar restaurantes tradicionais. Nada como a globalização! É possível encontrar comida italiana, japonesa, tailandesa e de toda parte do mundo fácil, fácil em Londres.

2 comentários:

  1. juuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu...adoro seu blog! =***********

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Elbinha! =]
      Eu escrevo com todo prazer do mundo!!!

      Excluir