17 de novembro de 2013

Londres - Museu da Ciência, Museu de História Natural e Museu Britânico

Já mencionamos que Londres não é uma cidade barata para se visitar. Mas, se por um lado, hospedagem, alimentação e transporte são males necessários, dá pra compensar na escolha das atrações. Isso porque existem dois tipos de atração em Londres: as muito caras e as de graça. Sim, para a nossa alegria! E engana-se quem pensa que os museus com entrada liberada não são tão bons quanto os pagos. Eles são gigantescos, interessantes, divertidos e atendem a todos os gostos.   

"O homem deve elevar-se acima da Terra - até o topo da
atmosfera e além -, pois só assim entenderá inteiramente
 o mundo no qual vive" (Sócrates)
Museu da Ciência

A ciência e a tecnologia estão em toda a parte na nossa vida. É isso o que nos mostra o Museu da Ciência de Londres. Você aprende, da forma mais interativa possível, sobre a evolução dos meios de transporte, energia, astronomia e as aventuras exploratórias do homem no espaço, agricultura, sustentabilidade, a tecnologia presente no nosso lar, computação, saúde, matemática, medição do tempo, telecomunicações, matérias-primas usadas para a fabricação de tudo o que conhecemos etc.

São mais de 300 mil artigos na coleção do museu (aviões, carros, locomotivas, relógios de todas as épocas, réplicas de planetas, máquinas, objetos etc.) e várias seções, onde você pode se perder um dia inteiro. Tem crianças? É obrigatório leva-las!

Atenção pra não gastar tudo o que você economizou com entrada na loja de souvenires do Science Museum. É altamente difícil não querer levar aquele bando de brinquedinhos, gadgets, utensílios e quinquilharias mega legais.  




Astronauta por um dia no Science Museum
Museu de História Natural

Se no Museu da Ciência, descobrimos como o homem interfere na sua própria vida e no mundo usando seus conhecimentos, o Museu de História Natural nos apresenta simplesmente a VIDA, como ela veio ao mundo. E os dois museus ficam ali na mesmíssima rua, a Exhibition Road, que abriga, ainda, outro museu gratuito: o Victoria & Albert Museum.

O Natural History Museum possui mais de 70 milhões de espécies ou itens catalogados em suas coleções de ciências da vida e da Terra. O acervo é dividido em Botânica, Entomologia, Mineralogia, Paleontologia e Zoologia. Entre os diversos fósseis de dinossauros, o mais valioso é o esqueleto da espécie arqueopterix, que viveu há quase 150 milhões de aninhos. Outro animal extinto famoso do museu é a ave dodô, o primeiro animal cujo desaparecimento foi, comprovadamente, provocado pelo homem. Até desconfio que ele tenha inspirado o bichinho exótico do filme Up – Altas Aventuras.

As alas mais interessantes, visualmente, incluem a dos mamíferos (incluindo uma réplica em tamanho real de uma baleia azul), a dos primatas, a da biologia humana (superinterativa) e, claro, a dos dinossauros.





O extinto dodô "reconstruído" com ossos de mais de 1.000 anos atrás
Museu Britânico

Na lista dos museus de arte mais importantes do mundo, em número de visitantes, os três primeiros são estes: Louvre (1º), em Paris, Metropolitan Museum of Arts (2º), em Nova Iorque, e Museu Britânico (3º), em Londres. Ainda não conheci o de NY, mas na minha lista amadora pessoal e sem critérios claros e/ou relevantes, o Museu Britânico (British Museum) supera um pouco o Louvre. Não só por ser gratuito e não ter uma fila do tamanho do mundo na entrada, mas porque achei ainda mais atraente aos olhos (pelo menos aos olhos de alguém que não entende muito de arte).

São mais de 7 milhões de objetos vindos de todos os continentes, incluindo algumas peças roubadas da Grécia (coisa que o Governo grego tenta reaver até hoje). Alguns dos mais interessantes são os sarcófagos e as múmias, as armaduras samurais, a Pedra de Roseta – um fragmento de uma coluna com inscrições do Egito antigo que foi crucial para a compreensão dos hieróglifos -, moedas, esculturas e objetos egípcios, gregos, chineses, africanos, romanos, indianos e de muitas outras origens.
   




Nenhum comentário:

Postar um comentário